Chegar à quinta edição de festival é um marco. Muito além da resistencia dessa iniciativa em cenários desafiadores como os que estamos vivendo, é a prova de que a música de camara de qualidade tem lugar, público e espaço para trocas em nossa Cidade Olímpica.

Rio Music Week, esse ano, privilegia o ecletismo estilístico e cultural da música de câmara, através da variedade de nacionalidades entre os músicos. Cubanos, norte-americanos, russo, português, e brasileiros de vários estados. O repertório passeia desde Bach até Shostakovich. Revisita os fundamentais Haydn, Mozart e Brahms, e oferece a luz do século XX com obras de Vaughan Williams, Bartók e Ravel. Há momentos dedicados à música brasileira de concerto em canções de Carlos Gomes e Alberto Costa, obras orquestrais de Egberto Gismonti, peças de câmara de Villani-Cortes e do mestre Heitor Villa-Lobos. A escola francesa também é visitada na progamação com Fauré, Chausson e Debussy, e contemporâneos portugueses. O festival celebra Anacleto de Medeiros e o compositor argentino Alberto Ginastera, que completariam 150 e 100 anos respectivamente. Destaque para a individualidade artística de cada uma das noites, representada por grandes intérpretes, como a argentina Mercedes Arcuri, o carioquíssimo Art Metal Quinteto, o jovem violista russo Vladimir Babeshko, o destacado clarinetista português Nuno Pinto, o violoncelista Kayami Satomi, de João Pessoa, a soprano Angelica de La Riva e o pianista Orlando Alonso, ambos cubanos, o virtuose da harmônica José Staneck, e os duos Bretas-Kervokian, de piano e Sá, de percussão. Um dos pontos altos desta quinta edição é o aclamado Quarteto de Cordas Enso, de Nova Iorque. Em sua primeira atuação no Brasil, o grupo irá apresentar três concertos exclusivos para o festival. Na noite de encerramento, na Sala Cecília Meireles, a monumental Sonata de Bartok para dois pianos e percussão será ouvida no Rio depois de 16 anos!

Nosso sonho em festejar a prática de música de câmara na Cidade do Rio de Janeiro, lançando luz e espaço que essa Arte merece, é concretizado através do apoio da Cidade das Artes, do patrocínio do Banco Itaú, fomentado pela Lei Rouanet de Incentivo a Cultura do Governo Federal, juntamente com a Braskem e VIVO, através da Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Rio de Janeiro, além da CCR e Lew’Lara publicidade, também pela Rouanet.

Simone Leitão
Idealizadora e Diretora Artística